Reflexões de um pesquisador

O médico e pesquisador Isaias Raw, de 82 anos, diretor presidente da Fundação Instituto Butantan,  ao refletir sobre a própria trajetória profissional, afirma que:

  •  Aos 21 anos já era pesquisador. Não havia quem o ensinasse, então teve de aprender a aprender.
  • Considera que o mais difícil numa pesquisa é formular uma pergunta. “Nisso o professor pode ajudar”, diz, “mas acho que o que se ganha com orientação perde-se em criatividade”.
  •  Os alunos deveriam entrar na universidade já por dentro do método científico, para que pudessem ser mais críticos e soubessem observar e tirar conclusões.

Raw lamenta que que muitos doutores estejam desempregados ou com subemprego. “A universidade não tem renovação e indústria não tem doutores. Ela prefere comprar pacote pronto”, diz o pesquisador, acrescentando que nos Estados Unidos até há espaço para doutores na indústria, mas no Brasil “os empresários são mais primitivos e compram a pesquisa”, diz.

Trechos retirados de Coisas que eu queria saber aos 21, caderno .Edu, do jornal O Estado de São Paulo, 28 de julho.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s