Mídia, comportamento e cultura

Apresento a seguir o resumo do artigo Mídia, comportamento e cultura  (publicado pela revista Perspectivas em Análise do Comportamento) escrito por mim com as professoras Maria Eliza Mazzilli Pereira e Maria Amalia Andery (ambas da PUC-SP). O texto completo pode ser lido no link no fim do resumo. Críticas e sugestões de melhorias serão muito bem-vindas.

De forma geral, encontram-se os seguintes problemas na literatura que trata da relação entre mídia e público: a) a mídia tradicional (jornal, rádio, televisão) é descrita como antidemocrática, desconsiderando-se serviços relevantes prestados por ela e o controle do público-alvo sobre a mídia; b) a mídia social (blogs, Facebook, Twitter) é tratada como salvaguarda da democracia, sem se considerar formas de censura realizadas por meio de algoritmos específicos, que determinam que conteúdo é exibido ou ocultado do público. Neste artigo, propõe-se uma análise comportamental da mídia, baseando-se em princípios da seleção comportamental/cultural pelas consequências. Argumenta-se ser preciso descrever inter-relações entre agências de controle e em outras contingências de reforçamento que afetam o comportamento individual e em grupo nas interações com a mídia e pela mídia. Implica considerar práticas culturais dominantes, levando em conta que certas práticas podem ser incompatíveis entre grupos constitutivos de uma cultura. À parte a noção de democracia não ser necessariamente consensual, é possível que se encontrem dimensões de práticas democráticas e antidemocráticas nas mídias tradicional e social. Considera-se que a análise do comportamento deveria compreender melhor possibilidades e limites das novas tecnologias de comunicação, sobretudo das mídias sociais, em possíveis intervenções culturais.

Leia o artigo completo aqui

Anúncios

Analistas do comportamento nos primórdios da FAPESP

Fundadores da Análise do comportamento do Brasil como Carolina Bori, Fred Keller e Isaías Pessotti são alguns dos pesquisadores referidos no livro Circa 1962: A Ciência Paulista nos Primórdios da FAPESP, da jornalista Mônica Teixeira. A jornalista conta histórias da ciência paulista no início da criação da FAPESP. Além desses pesquisadores, o livro traz entrevista com analistas do comportamento como a professora Deisy das Graças Souza (UFSCar), o professor João Claudio Todorov (UnB) e a professora Maria do Carmo Guedes (PUC-SP). A versão digital do livro pode ser baixada aqui.

Leia mais sobre o livro recém-lançado aqui. Clique aqui para ver a reprodução das imagens de Carolina, Keller e Pessotti publicadas no livro.