Sobre a razoabilidade, segundo Yutang

Sede razoável

Lin Yutang

Em contrate com a lógica, existe o senso comum ou, melhor, o espírito do razoável. Creio que o espírito do razoável é o ideal mais alto da cultura humana, e o homem razoável o tipo mais alto do ser humano culto. Ninguém pode ser perfeito; só se pode tender a constituir um ser agradável, razoável. Na verdade, espero um dia em que a gente do mundo esteja imbuída desse espírito razoável, tanto nos seus assuntos individuais como nos nacionais. As nações razoáveis vivem em paz, e os casais razoáveis vivem felizes. Na seleção de maridos para as minhas filhas, só terei um padrão: é um homem razoável. Não podemos imaginar maridos e esposa perfeitos, que jamais disputem; só podemos imaginar marido e esposa razoáveis, que disputem razoavelmente e se reconciliem razoavelmente.

Yutang, L. (1950). A importância de viver. São Paulo: Editora Globo, p. 375 (obra traduzida por  Mario Quintana)

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s